terça-feira, 1 de outubro de 2013

A Atualidade da sabedoria bíblica - uma análise dos livros de Provérbios e Eclesiastes - Parte 1/2

Os livros de Provérbios e Eclesiastes, ambos da autoria de Salomão, são classificados como “Literatura Sapiencial”, isto é, de Sabedoria. São livros recheados de conselhos e máximas que revelam um saber divino para vida cotidiana!

Leia também a parte 2/2

O propósito do livro de Provérbios está declarado nos seis primeiros versículos do capítulo primeiro. Esses versículos nos revelam que o propósito do livro é produzir sabedoria e fazer com que seus leitores aprofundem-se mais ainda na verdadeira sabedoria. Por outro lado, o livro de Eclesiastes, ao contrário do que muitos pensam, não apresenta uma espécie de ceticismo ou desencanto com a vida. O livro revela sim, a avaliação feita por alguém que teve o privilégio de viver a vida com intensidade e descobrir que a mesma é totalmente vazia se não vivida em Deus!

Vejamos, pois, de uma forma panorâmica os principais temas abordados nesses livros:

1. Sexo

O livro de Provérbios tem muito a dizer sobre a sexualidade. Nos Provérbios a sexualidade humana é uma dádiva divina. Uma boa parte dos conselhos de Salomão diz respeito a sexualidade humana e a sua forma correta de expressão. Assim sendo ele dedicou boa parte de três capítulos do seu livro para falar de uma forma profunda sobre o sexo e os desvios aos quais ele está sujeito (Pv 5.1-23; 6.20-35; 7.1-27; 9.13-18). Por outro lado, a sexualidade também é algo próprio do homem. Somos humanos e o sexo faz parte de nossa natureza humana e é por isso que estamos sujeitos à tentação! No céu na haverá necessidade da expressão sexual (Mt 22.30) por isso devemos buscar expressar nossa sexualidade com amor dentro dos limites estabelecidos pelo criador.

2. Trabalho

A princípio convém dizer que a ideia de prosperar e enriquecer por outros meios que não seja o trabalho é completamente estranho à Escritura. O Deus da Bíblia faz prosperar, mas ele o faz através do trabalho (Dt 8.18). No livro de Provérbios há muitas metáforas para ilustrar a natureza do trabalho e a nossa relação com ele. Por exemplo, a metáfora do celeiro e do lagar, representa uma vida abundante! Uma vida com fartura! Na metáfora das formigas, o Sábio nos exorta a tomarmos uma atitude frente a realidade da vida. Aqui esses insetos nos ensinam sobre a necessidade da tomada de atitude e também sobre economia doméstica (Pv 6.6-8). Na metáfora do preguiçoso e do leão,aprendemos que não adianta arrumar desculpas para fugir do trabalho. Em uma outra metáfora, a dos espinheiros, aprendemos que precisamos enfrentar as lutas da vida.

3. Dinheiro

O livro de Provérbios tem muito a dizer sobre o dinheiro, principalmente sobre as práticas da fiança e do empréstimo. “Quem fica por fiador de outrem sofrerá males, mas o que foge de o ser estará seguro” (Pv 11.15). Precisamos tomar cuidado em ser fiador ou avalista de alguém! Por outro lado, precisamos tomar cuidado também com a prática de empréstimos. Podemos emprestar ou tomar emprestado e não há nada de errado nisso desde que se cumpra com o compromisso firmado. Salomão também fala sobre a usura ou agiotagem. Lamentavelmente há muita gente crente lucrando por meio da usura ou agiotagem. Emprestam dinheiro a juros exorbitantes! E o que é mais grave – alguns desses agiotas são obreiros! Já ouvi histórias de irmãos que tiveram seus bens confiscados e espoliados por obreiros porque não conseguiram pagar os juros estratosféricos cobrados. Alguns perderam lojas ainda outros perderam veículos. É lamentável que isso possa ocorrer no meio do povo de Deus.

4. Língua

Salomão tem muito a dizer sobre a língua! Convém dizer as palavras não tem vida própria. Uma tendência bíblica, que é o de dar vida às abstrações e personificá-las tem levado muitos ao equívoco de pensar que as palavras tem existência independente de Deus e do homem. Não, não tem! A Palavra de Deus é poderosa porque foi Deus quem a disse ou que mandou falar, mas não porque tenham vida independente do próprio Deus (Sl 107.20; Is 9.8). Da mesma forma as palavras humanas não tem poder em si mesmas (Sl 85.11; 107.42; Jó 5.16; 11.14; 19.10). Por outro lado, dependendo do contexto onde são faladas e por quem são faladas e ainda por quem as ouve, as palavras podem machucar, ferir ou até mesmo matar.

5. Família

Há duas coisas básicas que devemos observa numa família quando o assunto em pauta é a educação dos filhos. O primeiro é que educar não é satisfazer vontades, mas atender necessidades. Uma criança pode ter vontade de comer chocolate o dia todo, mas o que ela realmente precisa é de arroz, feijão, carnes, etc, para que tenha o seu crescimento saudável. É preciso que se estabeleça limites não somente na área da alimentação, mas principalmente na área dos valores morais e espirituais. Em segundo lugar, educar exige correção,mas não agressão! Muitos pais são totalmente omissos na educação dos filhos e quando querem educar recorrem a agressão física para fazer valer sua autoridade.

6. Humildade e arrogância

O livro de Provérbios se refere por diversas vezes aos termos contrastantes: “humildade” e “arrogância”, mas sempre dentro do contexto das interações humanas. Dessa forma para se conhecer quem é o sábio, o autor de Provérbios põe no cenário como figura contrastante, o insensato. Mas Provérbios vai mais além – tanto a humildade como a arrogância serão melhor compreendidas quando se observa, além do sabido versus o insensato, também figuras contrastantes como: o justo versus o injusto; o rico versus o pobre e o príncipe versus o escravo. 

7. Mulheres

O poema de Provérbios 31.1-31 consegue nos fazer enxergar qual é o verdadeiro valor da mulher e dessa forma serve de manual como a mesma deve ser tratada. Mas uma coisa fica logo em evidência – o Sábio não fala de qualquer mulher! Não, ele fala da mulher virtuosa, aquela que possui virtudes e valores morais e espirituais. Uma mulher que teme a Deus. Essa “Mulher Virtuosa” de Provérbios 31.1-10 contrasta com a “Mulher Vil” de Provérbios 11.22. Ao contrário da Mulher Virtuosa, a Mulher Vil é totalmente desprovida das virtudes e valores morais. Ambas são chamadas de “formosas”, mas a formosura da mulher Virtuosa é mais de natureza ética do que estética. É mais interior do que exterior. Ela tem em Deus a fonte de tudo isso! É por isso que ela merece ser ovacionada.


SÁBIOS CONSELHOS PARA UM VIVER VITORIOSO - LIVRO DO TRIMESTRE

O autor realizou um estudo sistematizado sobre os livros de Provérbios de Salomão e Eclesiastes. Segundo ele, escrever esse comentário “é como escavar um barranco à procura de ouro! A diferença é que aqui não encontramos cascalho, mas somente pepitas reluzentes e prontas para nosso uso. Burilada e moldada durante anos para o nosso deleite pelo Senhor.”

Ao esquadrinhar de forma profunda Provérbios de Salomão e Eclesiastes, o autor quer que admiremos e desfrutemos de verdadeiras pérolas da sabedoria divina para o nosso enlevo espiritual.

José Gonçalves presenteia o leitor com um comentário bíblico, fruto de um árduo, porém prazeroso, trabalho. São anotações de um pastor que, no esforço de sua lida, atestou na prática, os conselhos dos Sábios. Conselhos para uma vida vitoriosa, sabedoria bíblica para quem quer vencer na vida. Livro de apoio à lição bíblica do 4º trimestre

José Gonçalves
Pastor da Assembleia de Deus em Água Branca, Piauí; graduado em Teologia pelo Seminário Batista de Teresina e em Filosofia pela Universidade Federal do Piauí. Ensinou grego, hebraico e teologia sistemática na Faculdade Evangélica do Piauí. Articulista, escritor e conferencista. É comentarista de Lições Bíblicas de Jovens e Adultos da CPAD e autor de vários livros da CPAD. É presidente do Conselho de Doutrina da Convenção Estadual das Assembléias de Deus no Piauí e vice-presidente da Comissão de Apologética da CGADB. 
Para conhecer mais sobre o autor e suas obras acesse o blog: http://www.pastorjosegoncalves.blogspot.com.br/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VOCÊ ESPECIAL

GOOGLE +