quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

João Marcos: De Inútil a Útil

A missão dos apóstolos de Jesus foi a divulgação do evangelho, a boa-nova sobre a vida, morte e ressurreição do Filho de Deus e a graça estendida ao mundo. Um dos mais influentes desses embaixadores de Cristo foi Paulo, autor de 13 dos 27 livros do Novo Testamento e apóstolo aos gentios, as nações que não haviam recebido os privilégios especiais dados aos descendentes de Abraão, Isaque e Jacó, no Antigo Testamento.

A segunda metade do livro de Atos registra quatro viagens realizadas por Paulo: três comumente conhecidos como suas viagens missionárias, e mais uma viagem, de Jerusalém a Roma via Cesareia, na qual Paulo foi levado como prisioneiro para uma série de julgamentos.

Na história da primeira viagem (Atos 13 e 14), encontramos João Marcos (ou apenas Marcos), um jovem, parente de Barnabé (Colossenses 4:10). Marcos acompanhou Paulo e Barnabé quando partiram de Antioquia da Síria e passaram pela ilha de Chipre, no Mediterrâneo. Ele continuou com esses evangelistas experientes na viagem de Chipre à Ásia Menor. Quando a viagem ficou mais difícil e perigosa, porém, Marcos abandonou os outros dois e voltou para Jerusalém.

Paulo e Barnabé perseveraram, apesar de severas perseguições que levaram ao apedrejamento do apóstolo em Listra. Completaram esta fase do seu trabalho, deixando na região vários novos convertidos organizados em igrejas locais. Voltaram para Antioquia da Síria e, depois, viajaram para Jerusalém para ajudarem a corrigir um mal-entendido doutrinário (Atos 15).

Quando Paulo e Barnabé se preparavam para uma segunda viagem, Paulo recusou levar Marcos. Ele não sentiu confiança no jovem, e escolheu um outro irmão, Silas, como ajudante (Atos 15:36-41). Naquele momento, Marcos foi inútil para Paulo.

Barnabé deu uma segunda chance para Marcos, levando-o na sua viagem para Chipre. Ele achou melhor trabalhar mais com esse jovem, esperando que fosse útil para o Senhor. Como o relato de Atos segue a viagem de Paulo, e não a de Barnabé, não temos detalhes do trabalho feito por Barnabé e Marcos. Temos apenas alguns indícios dos resultados da paciência de Barnabé no seu trabalho com esse jovem.

João Marcos escreveu um dos relatos da vida de Jesus, o evangelho segundo Marcos, aceito pela igreja primitiva como uma versão divinamente inspirada dessa mensagem fundamental das Escrituras.

Anos mais tarde, o próprio apóstolo Paulo escreveu: “Toma contigo Marcos e traze-o, pois me é útil para o ministério” (2 Timóteo 4:11). O mesmo apóstolo que não confiava no jovem Marcos depois do problema do seu procedimento na primeira viagem chegou a pedir a sua ajuda no final da sua vida.

João Marcos amadureceu. Cresceu espiritualmente. Aprendeu ser responsável e ganhou a confiança do mesmo apóstolo que mostrou sua decepção em outra época.

Todos nós precisamos de exemplos como o de João Marcos. Falhamos. Decepcionamos os outros. Nem sempre agimos como devemos e nem como pessoas mais fortes esperam de nós. Mas Marcos serve para nos lembrar de segundas chances, da possibilidade de superar as nossas falhas e fazer melhor. O servo inútil se tornou útil.

Não vivemos, porém, para agradar ao apóstolo Paulo. Devemos sempre procurar agradar a Deus. E nisso, já temos falhado. Como as pessoas imperfeitas que somos, nossas primeiras viagens nessa vida não foram tão boas. Erramos. Pecamos. Paulo escreveu: “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23). Deus, porém, acredita em segundas chances. Ele nos oferece, em Jesus, o perdão e a oportunidade de começar novamente. Ele nos oferece a redenção! Paulo continua: “sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus” (Romanos 3:24).

Por Dennis Allan

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VOCÊ ESPECIAL

GOOGLE +