sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Não gaste tempo com críticas

Mike Murdock, um orador muito apreciado no Sul do Texas com seu programa de Televisão, “Escola de Sabedoria”, conta que certa vez assentou-se para responder a crítica mordaz de uma pessoa. Ele se esforçou para apagar as palavras e escrever novas frases, levou mais de uma hora de trabalho cansativo e cuidadoso para dar forma a uma resposta decente à carta, mas seu esforço parecia inútil, ele não conseguia responder de forma sábia. Finalmente começou a rir com um pensamento que lhe surgiu à mente. Ele percebeu que jamais tinha passado uma hora para escrever uma carta para sua própria mãe, a pessoa mais querida dele. Então, decidiu que era uma tolice gastar tanto tempo com uma crítica.
Resultado de imagem para Não gaste tempo com críticasA verdade é que críticos são espectadores, não participantes.
Se pararmos para ouvir críticas, provavelmente perderemos tempo fundamental para investir em coisas mais produtivas. Geralmente os críticos são pessoas que se tornaram especialistas em julgar o trabalho dos outros, mas são incapazes de lutar pelos seus próprios objetivos. Quem está gastando sua energia em produtividade, normalmente não tem muito tempo para ficar julgando o que o outro está fazendo. Alguém disse: “A crítica é o gargarejo mortal de alguém que nada realizou”.

Para não estagnar, pare de se justificar o tempo todo, fuja de pessoas que se tornam especialistas em críticas. Tenho procurado pessoas que tenham respostas e soluções, não aquelas que trazem problemas e dificuldades.

É certo que precisamos ter lugar certo para apresentar os fatos e avaliar os atos. Existe hora e lugar para a troca de informações, para ouvir conselhos sábios e experiência de pessoas com mais sabedoria e expertise. Sugestões construtivas são sempre buscadas por pessoas bem sucedidas. Mas não podemos parar só porque sofremos uma crítica.

Diante de acusações sofridas, Jesus chegou ao ponto de permanecer em silêncio (Mt 26.63). Ele não se sentiu obrigado a dar resposta às criticas, ou ser agradável a pessoas que lhe armavam ciladas. Este foi um dos segredos de sua liderança. Ele era capaz de responder às pessoas que sofriam, gente marginalizada e desprezada, mas não gastava tempo com “pegadinhas filosóficas” e com “observadores fúteis”. Ele sabia que não tinha muito tempo para fazer as coisas, e precisava concentrar-se naquilo que era realmente importante.

Norman Vincent Peale afirmou: “Nunca reaja emocionalmente às críticas. Analise a si mesmo para determinar se elas são justificadas. Se forem, corrija-se. Caso contrário, continue vivendo normalmente”.

Rev. Samuel Vieira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VOCÊ ESPECIAL

GOOGLE +