terça-feira, 3 de maio de 2011

O que David Wilkerson disse a respeito da Teologia da Prosperidade

Os títulos de apóstolo, profeta e mestre não são usuais e até soam mal, na atualidade. Mas isso não significa que os ministérios de apóstolo, profeta e mestre tenham se extinguido (1 Co 12.28; Ef 4.11). Tais dons ministeriais perdurarão até que todos cheguemos [...] à medida da estatura completa de Cristo” (Ef 4.13).

Partiu para a eternidade, nesta semana, um pregador que tinha verdadeiramente o ministério de profeta: David Wilkerson. Ele morreu, quando o seu carro se chocou com uma carreta, em uma estrada no Texas, Estados Unidos. 
Li todas as suas obras em português. Mas, na foto acima, estão as duas que mais me marcaram, ambas bastante desgastadas.

Toca a Trombeta em Sião
 (CPAD) eu ganhei de um irmão bastante idoso — que já deve estar com o Senhor —, em 1989. E ele já me deu a obra bem surrada e toda marcada. A obra David Wilkerson Exorta a Igreja ganhei em 1993 (ano que meu primeiro artigo foi publicado no Mensageiro da Paz) do pastor e amigo Eude Martins da Silva, à época diretor-executivo da Editora Vida.


Se você tem dúvidas quanto ao ministério profético de Wilkerson, veja o que ele escreveu em 1985, na primeira mencionada, traduzida em 1988 pelo mestre Antonio Gilberto, a respeito da Teologia da Prosperidade: “Ezequiel lutou sozinho contra todos os falsos profetas de Israel. Esses profetas não tinham qualquer mensagem de retidão, nem de julgamento inevitável do pecado. Eles só profetizavam a paz, conforto e prosperidade” (p.127).

Wilkerson falou condenou a Teologia da Prosperidade em uma época em que se falava quase nada sobre ela e verberou contra os seus proponentes: 
“Tais falsos profetas continuam em nosso meio! Eles usam as Sagradas Escrituras no campo das profecias; nas suas mensagens de prosperidade eles introduzem bastantes passagens bíblicas. Mas é falsa mensagem que eles pregam. Sua pregação não é a mensagem da cruz, nem a da santidade e da separação do mal” (idem, p.129).

Comparando esses 
“últimos dias” com dias de Ezequiel, também asseverou: “o pecado de Israel era tão grande que a ira de Deus estava a ponto de desencadear-se em forma de julgamento divino sobre a nação. O profeta Ezequiel não queria anunciar a terrível catástrofe que estava para cair sobre aquele povo, pelo fato de ele ter seus profetas prediletos que só anunciavam bonança e paz” (idem, p.133).

“Quem acordará e obedecerá ao chamado do Senhor, separando-se e purificando-se de todos os pecados que são praticados dentro das igrejas e fora, no mundo? Você pensa que, vivendo errado, mas pertencendo a uma igreja, escapará do juízo de Deus? Não caia no engano de Israel, pensando que o dia do julgamento está muito longe” (idem, p.145).


Na obra David Wilkerson Exorta a Igreja (Editora Vida), ele disse palavras que nos servem de consolo: “É melhor poder dizer: ‘Não importa o que está pela frente — não importa qual a provação ou aflição — Deus tem-se mostrado fiel. Da morte ele produziu vida. Nenhuma dessas aflições pode mudar-me agora. Ainda que ele me mate, nele esperarei’” (p.15).


Até breve, profeta David!


Ciro Sanches Zibordi
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOSSA PAGINA

VOCÊ ESPECIAL

GOOGLE +