terça-feira, 4 de outubro de 2011

“CALA BOCA MAGDA!"

Este bordão ficou conhecido através de um programa (ridículo) humorístico exibido pela Globo anos atrás. Era a maneira “gentil” do marido por fim às reverberações absurdas (leia-se burras) de sua esposa, sugerindo a falta de senso dela (ou de inteligência mesmo) – virou mania nacional.
Recentemente, na época da última Copa do Mundo, o Twitter congestionou com o protesto em forma de hashtag com o rasgado “Cala a boca Galvão”... Deu o que falar – virou capa da Veja!

Pois bem, o que vou escrever a partir de agora não tem nada a ver com programas de humor, com a Globo ou humoristas, nem com o Galvão Bueno (comentarista esportivo). Tem a ver com os pregadores midiáticos cada vez mais sem noção, que andam proferindo as coisas mais absurdas em nome de Jesus, usando burramente a Bíblia (esta é a maior façanha) para dar base aos seus ensinos mirabolantes.
De tão maliciosos e espertalhões que são estes rapineiros conseguem arrebanhar pessoas de todas as classes sociais e de todos os níveis culturais com as promessas de cura, vida regalada e ascensão social. Inventam revelações, produzem profecias, dramatizam testemunhos e relatam experiências supostamente sobrenaturais de causar espanto. Há momentos em que eles são tão artificiais que denunciam a si mesmos em falas contraditórias, gestos espalhafatosos fora de hora e expressões faciais que destoam do restante das performances.

Entretanto, o que mais me intriga são as maneiras como interpretam passagens inteiras da Bíblia na base do “texto fora do contexto” e manipulam as emoções das pessoas, com o intuito de sustentar as mais deslavadas mentiras e as mais estúpidas doutrinas que eles mesmos inventam. O pior é que quase sempre logram êxito em persuadir os pobres miseráveis que os seguem em suas igrejas, conferências, etc. Por exemplo, neste final de semana, avaliei as atuações de 2 dos pregadores televisivos mais famosos atualmente, aos quais vou chamar de “X” e “Y”. Observem suas falas e meus comentários em seguida:

Fala do pregador “X”: “Jesus disse que você pisaria serpentes e escorpiões! Serpentes e escorpiões são duas classes de demônios!”
Comentário: O tal pregador passou um bom tempo falando sobre as propriedades nocivas do veneno dos animais, para depois fazer um gancho, equiparando-as às ações do diabo e demônios nas vidas das pessoas – não sei se ele foi bem sucedido no “decoreba” da parte da Zoologia, mas no que tange à Teologia falou um quilo e não entendi um grama.

Fala do pregador “Y”: “Fizeram um trabalho de magia pra te matar!” – apontando para uma vit..., quer dizer, pessoa.
Comentário: Este é um dos chavões mais manjados e frequentes nas reuniões pentecostais e neopentecostais – já nem cola muito. Este pregador só tem duas opções: Ou começa a pregar a Bíblia e falar só o que pode ser confirmado por Ela, ou precisa atualizar seu repertório de jargões pra não passar vexame e não entediar seu público.

Mas, não é só de pregador “X” e “Y” que a igreja está infestada não. Na verdade a lista compõe-se do alfabeto inteiro daqueles que vão tornando o Evangelho algo cada vez mais desacreditado e a Igreja alvo de comentários desprezíveis e difamatórios. Para eles, gostaria de mandar um recado aparentemente grosseiro, mas necessário:

“CALEM A BOCA PREGADORES SEM NOÇÃO!”

- pr Aécio -
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOSSA PAGINA

VOCÊ ESPECIAL

GOOGLE +