terça-feira, 8 de novembro de 2011

Salmo 150 (Spurgeon)

SALMO 150

Chegamos agora ao último e mais elevado cume da cadeia de montanhas dos salmos. Esta se eleva bem alto no céu azul, e sua fronte é banhada pela luz solar do mundo eterno de adoração - e é um arrebatamento. O profeta poeta está cheio de inspiração e entusiasmo. Ele não quer argumentar, ensinar, explicar; mas clama com palavras ardentes: "Louvem-no, louvem-no, louvem o SENHOR".


DICAS PARA O PREGADOR

VERS. 1. Louvem a Deus no seu santuário.

1. Em sua santidade pessoal.

2. Na pessoa de seu Filho.

3. No céu.

4. Na assembléia dos santos.

5. No silêncio do coração.


VERS. 1-6. Deus deve ser louvado. Onde? (Sl 150.1). Em quê? (Sl 150.2). Com quê? (Sl 150.3-5). Por quem? (Sl 150.6) (C. A. D.).


VERS. 2. Sua excelente grandeza. Onde a grandeza de Deus é especialmente excelente e onde é mais bem vista.

VERS. 2. Louvem-no pelos seus atos poderosos.

1. Por nós. A eleição. A redenção. A inspiração.

2. Em nós. A obra de iluminação no entendimento; purificação do coração; avivamento da consciência, subjugação da vontade.

3. Por nós. O pensamento através de nós; sentido através de nós; falado através de nós; trabalhado através de nós. Para ele seja toda a glória! (W. J.).

VERS. 2. Louvem-no por sua excelente grandeza, por seus feitos poderosos.

1. Reverentemente, de acordo com a grandeza de seu ser.

2. Agradecidamente, de acordo com a grandeza de seu amor.

3. Retrospectivamente, de acordo com a grandeza de suas doações.

4. Prospectivamente, de acordo com a grandeza de suas promessas (W. J.).

VERS. 2. O que a exortação exige.

1. Que os homens estudem as obras de Deus e observem a glória de Deus nelas.

2. Que meditem em sua grandeza até que reconheçam a excelência dela.

3. Que proclamem abertamente a honra que lhe é devida.

4. Que não contradigam em sua vida o louvor que pronunciam (J. F.).

VERS. 3. Louvem-no ao som de trombeta:

1. Quando se luta.

2. Quando se vence.

3. Que se reúnem.

4. Quando se proclama sua Palavra.

5. Quando se receber o Jubileu.

VERS. 3-6.

1. A variedade do culto antigo necessitava de gastos sérios; consagração de alto talento, trabalho duro e constante.

2. As lições de tal culto.

(a) Deus deve ser adorado majestosamente.

(b) Os esforços do maior gênio são tributo a que ele tem direito.

(c) Nem toda a capacidade humana pode colocar uma oferta digna aos pés dele.

3. A alma e a essência da verdadeira adoração.

4. As exigências de Deus quanto ao culto nestes dias presentes (W. B. H.).

VERS. 6.

1. O augusto doador da "vida, e fôlego, e todas as coisas".

2. O devido e verdadeiro uso dos dons da vida.

3. Com o resultado de a terra ser envolvida em atmosfera consagrada e aleluias milenares (W. B. H.).

VERS. 6. Um final adequado para o saltério, considerado como um desejo, uma oração ou uma exortação.

1. Como um desejo, reconhece qual a glória devida a Deus, o culto enobrecedor para o homem, a disposição de coração que faria com que todo o mundo fosse uma santa fraternidade.

2. Como uma oração, busca a derrota de toda superstição, a difusão universal da verdade, a conversão de todas as almas.

3. Como uma exortação, é claro, relevante, puro em sua piedade, perfeito em sua caridade (J. F.).

ALELUIA!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOSSA PAGINA

VOCÊ ESPECIAL

GOOGLE +