terça-feira, 6 de dezembro de 2011

O dia de adoração e serviço a Deus

Subsídios para a lição 11 - O DIA DE ADORAÇÃO E SERVIÇO A DEUS
Pr. Ciro Sanches Zibordi

Leitura bíblica: Neemias 13.15,17; Atos 20.7-12

INTRODUÇÃO

Nos tempos de Neemias, vigorava a lei mosaica. Guardar o sábado era um mandamento a ser observado pelos judeus como dia de repouso e de adoração. Mas o povo de Deus, mesmo instalado em sua terra, estava violando, desrespeitando, desprezando e profanando tal mandamento. E o Senhor não tolera os profanos (Hb 12.16; 1 Sm 2.17). Por isso, Neemias teve de agir, a fim de impedir a violação do dia do Senhor (Ne 13.15-22).

A lição 11, de 11/12/2011, das Lições Bíblicas (CPAD), estimula-nos a reservarmos pelo menos um dia da semana para adorarmos a Deus, dedicarmo-nos à sua obra e descansarmos. Além disso, ela visa a conscientizar-nos de que a obra expiatória do Senhor Jesus nos propiciou salvação pela graça, sem a necessidade de guardar a lei mosaica (Ef 2.8-10; Gl 2.16).

I. DEUS ORDENA A GUARDA DO SÁBADO

1. Uma ordenança divina para os israelitas
a) Trata-se de uma ordenança contida no Decálogo (Êx 20.1-8; 31.13).
b) No sétimo dia da semana, o povo de Israel, além de repousar de seus trabalhos, se consagrava para servir e adorar ao Senhor.
c) Semelhantemente, a Igreja adotou, desde o primeiro século, um dia no qual se dedica a Deus e à sua obra: o domingo, dia da ressurreição do Senhor (At 20.7; Mc 16.2,9; 1 Co 16.2; Ap 1.10).

2. Um sinal entre Deus e o seu povo
a) Deus ordenou a guarda do sábado como um sinal de seu pacto e de seu relacionamento com Israel (Êx 16.26-29; 31.12-17).
b) Não guardar o sábado significava quebrar a aliança mosaica (Is 56.4-6; Êx 31.15).
c) Hoje, não cultuar a Deus no domingo — considerado “o dia do Senhor” — ou em outro dia aprazível não denota quebra de pacto com o Senhor, mas revela negligência (Ef 5.14-16).

3. Os propósitos divinos da guarda do sábado
a) Proporcionar um dia de repouso (Êx 16.29,30; Ne 13.19). O termo “sábado” (hb. shãbath) designa, literalmente, “interceptar”, “interromper”. Implica uma cessação completa de uma atividade (cf. Gn 2.1-3). Nenhum trabalho devia ser realizado pelos israelitas no sábado (Êx 16.23; 35.2,3; Jr 17.22; Mc 16.1). O comércio estava proibido (Am 8.5).
b) Propiciar um dia de adoração e serviço (Lv 23.3; 25.4; Nm 28.9; Dt 5.12; Ez 46.3,12; Lc 4.31; 13.10).
c) Levar o povo a se lembrar de que Deus os libertara da escravidão do Egito (Dt 5.15).
d) O repouso do sábado tipifica o nosso repouso futuro (Hb 4.4,9,10).

II. O DESCUMPRIMENTO DA LEI MOSAICA NO TEMPO DE NEEMIAS

1. O desrespeito pela guarda do sábado
a) Houve iniquidade, nos dias de Neemias, pois cada israelita sabia que não devia violar a lei mosaica e que isso lhes traria todo tipo de maldições (Lv 26.13-33).
b) Nós, hoje, além de dedicarmos pelo menos um dia para adorar e servir ao Senhor, devemos cultuá-lo continuamente (Sl 34.1; 1 Ts 5.17). Não confunda reunião coletiva com culto individual. Este é contínuo; nunca termina.

2. A ganância dos mercadores
a) Neemias protestou contra os negociantes que profanavam o sábado (Ne 13.20,21).
b) Muitos maus e falsos obreiros, hoje, violam os mandamentos de Deus por causa da ganância e mercadejam a Palavra do Senhor (2 Co 2.17, ARA; 1 Tm 6.10; 2 Pe 2.1,2).

3. Neemias proíbe o comércio no sábado
a) Ele ordenou o fechamento dos portões desde a sexta-feira, ao pôr-do-sol, até o fim do sábado. Também ameaçou os comerciantes e os afugentou (Ne 13.19-21).
b) Como servos do Senhor, devemos fechar alguns “portões”, para que o Inimigo e seus agentes não nos façam pecar contra Deus (Ef 4.27; 1 Pe 5.8).

III. A GUARDA DO SÁBADO EM O NOVO TESTAMENTO

1. A essência do dia de descanso
a) Precisamos de pelo menos um dia semanal de descanso, a fim de cuidar do “templo do Espírito Santo” (1 Co 3.16,17; 6.19,20).
b) Deus prioriza o espírito, mas valoriza o corpo (1 Ts 5.23; 1 Tm 2.9; 4.8,16).

2. Jesus e o dia de descanso
a) O Senhor Jesus é o Senhor do sábado (Mc 2.26-28).
b) Jesus disse que o sábado foi feito por causa do homem, e não este por causa daquele (Mc 2.27). Logo, temos domínio sobre o sábado.
c) Nesse período da graça, não precisamos guardar o sábado de descanso, como os israelitas, mas devemos reservar pelo menos um dia para nosso repouso.

3. O cristão deve guardar o sábado?
a) A Igreja não está sob o jugo da lei mosaica (Rm 6.14; Jo 1.17). Dos dez mandamentos mencionados em Êxodo 20, nove deles são repetidos no Novo Testamento — alguns foram modificados por Jesus (Mt 5.21-28). Entretanto, não há menção à necessidade de observar a guarda do sábado.
b) Nós guardamos o domingo, por assim dizer, como um dia de adoração, estudo da Palavra e evangelização, etc. (At 20.7; 1 Co 16.2). Mas este nunca teve para o cristianismo o mesmo peso que o sábado observado pelos israelitas. Afinal, o cristianismo não é cerimonialista (Gl 4).
c) Depois do brado da vitória, na cruz (Jo 19.30), as exigências cerimoniais da lei mosaica foram definitivamente canceladas (Cl 2.14-16).

CONCLUSÃO

Diante do exposto, conquanto não tenhamos a obrigação de guardar o sábado, como faziam os israelitas, devemos observar o descanso semanal, priorizando o “homem interior” sem deixar de valorizar o “homem exterior” (2 Co 4.16; 1 Tm 4.8,16).

Ciro Sanches Zibordi
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOSSA PAGINA

VOCÊ ESPECIAL

GOOGLE +