terça-feira, 2 de outubro de 2012

O Grande Valor da Unidade

Sillas Campos começou sua pregação com a ilustração deste vídeo:



Texto Base: João 17:1-9 e 17-26
Tendo Jesus falado estas coisas, levantou os olhos ao céu e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que o Filho te glorifique a ti, assim como lhe conferiste autoridade sobre toda a carne, a fim de que ele conceda a vida eterna a todos os que lhe deste. E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu te glorifiquei na terra, consumando a obra que me confiaste para fazer; e, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo. Manifestei o teu nome aos homens que me deste do mundo. Eram teus, tu mos confiaste, e eles têm guardado a tua palavra. Agora, eles reconhecem que todas as coisas que me tens dado provêm de ti; porque eu lhes tenho transmitido as palavras que me deste, e eles as receberam, e verdadeiramente conheceram que saí de ti, e creram que tu me enviaste. É por eles que eu rogo; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus; Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. E a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade. Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos; eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim. Pai, a minha vontade é que onde eu estou, estejam também comigo os que me deste, para que vejam a minha glória que me conferiste, porque me amaste antes da fundação do mundo. Pai justo, o mundo não te conheceu; eu, porém, te conheci, e também estes compreenderam que tu me enviaste. Eu lhes fiz conhecer o teu nome e ainda o farei conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles, e eu neles esteja.

Infelizmente, muitos pastores e membros de igreja deste país não tem uma visão que busca a unidade, contudo esta foi a oração de Cristo: “a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste”. (v. 21)
Quatro verdades sobre a unidade do corpo de Cristo

1) Unidade cristã não é mero ajuntamento de evangélicos, baseado em uma tolerância doutrinária exagerada ou em um sincretismo gospel, mas sim a unidade dos discípulos, daqueles que creem em Cristo Jesus (vs. 6). Este texto não pode ser usado como uma desculpa para um sincretismo gospel, pois Jesus afirma uma unidade doutrinária: a guarda da palavra (v. 6) e a santidade na palavra (v. 17). A verdade é a base para a alegria e unidade cristã. Sendo assim, o primeiro inimigo para a unidade cristã é o sincretismo.

Jeremiah Burrough, um reformador, já em sua época se preocupava com a falta de unidade. Ele formulou seis pontos importantes:
As diferenças doutrinárias são inevitáveis.
As diferenças doutrinárias em questões secundárias continuam sendo importantes
As diferenças podem ser úteis.
Nenhuma estrutura pode representar sozinha a Igreja de Cristo em sua totalidade.
A verdadeira unidade é baseada no evangelho comum e deveria ser expressa pela cooperação entre as denominações.
A separação denominacional não é divisionismo.

2) A unidade cristã não é uma opção, mas é a vontade de Cristo. Quem vive em seu grupinho não está andando segundo a vontade de Cristo.

3) A unidade cristã nos fortalece. Juntos, somos mais fortes (Pv 30:27). Sua igreja precisa de outras igrejas. Sua denominação precisa de outras denominações. Juntos, saqueamos o inferno.

4) A unidade nos confere credibilidade (para que o mundo creia que tu me enviaste – v. 21).

5) A unidade cristã é uma realidade irreversível. O crescimento da Igreja de Cristo é uma realidade irreversível, pois é Ele que edifica a sua Igreja (o Reino é como uma semente de mostarda) e o crescimento da unidade do corpo de Cristo é uma verdade irreversível, pois foi o próprio Cristo que assim orou.

O coração do sectarismo é a tendência de achar que a “nossa” igreja é a expressão máxima da Igreja de Cristo no mundo. Saia da Síndrome de Elias: “eu sou o mais zeloso e não sobrou ninguém além de mim”. A resposta de Deus para este tipo de pensamento é “Eu preservei sete mil; você não é o único”.

A harmonia da diversidade é algo que só Cristo e o Evangelho podem trazer. Lembremo-nos que mesmo diferentes, estamos sujeitos ao mesmo Maestro e Mestre.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOSSA PAGINA

VOCÊ ESPECIAL

GOOGLE +