domingo, 4 de novembro de 2012

Qual deve ser a postura da Igreja na Pós-Modernidade

Texto-Base: Romanos 13: 11-14

INTRODUÇÃO
Vivemos numa época em que, resumidamente, resume-se em três palavras: rapidez, mudança e competitividade. E se nós, cristãos, quisermos acompanhar esse novo tempo, sem perder as bases de nova fé e prática cristã, precisamos atender a recomendação da Palavra de Deus, que nos diz: “E digo isto a vós outros que conheceis o tempo; já é hora de vos despertardes do sono...” (Rm 13: 11). Que sono é esse? Certamente diz respeito à sonolência espiritual da acomodação e negligência, pois é certo que há muitos cristãos dormindo no ponto, parados no tempo, desapercebidos do fato de que enquanto “dormem” as coisas mudam. Tudo muda... todos mudam... menos aqueles que andam na verdade.

Caros irmãos, vejo esse tempo como a grande oportunidade de fazermos história e até mudá-la. Precisamos aprender a ver as oportunidades desse novo tempo, mas não permitir que as “idéias modernas” destruam as antigas (e eternas) verdades que foram plantadas em nosso coração (cf. Rm 12:2).

I. ENTENDENDO A PÓS-MODERNIDADE
Por muitos séculos, a perspectiva que se tinha do mundo, da vida, de Deus, do home, dos valores eram quase sempre vistos pelas “lentes das Escrituras”. Mas, em tempos modernos nossa cultura tem sido invadida por conceitos materialistas e existencialistas, fazendo com que nossa maneira de ver as coisas mude completamente.

Essa nova geração passou a questionar, contestar e rejeitar quase todos os valores e os conceitos que antes eram tidos e aceitos como verdadeiros. Hoje, nada mais é “verdade absoluta”; tudo é relativo. O que é verdade para uns, não precisa, necessariamente, ser verdade para outros. Ninguém detém a verdade; cada um faz a sua verdade (cf. Jz 21:25 – 1300 a.C.).

II. OS DESAFIOS DA PÓS-MODERNIDADE
Nesse tempo de constantes mudanças, temos alguns desafios a enfrentarmos todos os dias. São eles:

2.1. Secularização. Esse termo pode ser definido como um processo por meio do qual o espiritual deixa de ter valor para as pessoas e Deus é retirado do centro da existência humana. Portanto, é preciso entender que estar secularizado é o mesmo que dizer que você, na linguagem bíblica, está conformado com o mundo. A secularização, através de suas filosofias, cauteriza a mente humana e a faz conformar-se com o mundo das seguintes maneiras: alienação, insensibilidade, busca do prazer acima de qualquer coisa, relacionamentos rápidos e superficiais.

2.2. Geração Novidade. Falamos aqui da busca insaciável por novidades – novos produtos, novos negócios, novos lugares, novidades no mercado, novas tecnologias, novos líderes, novas idéias, novas propostas, etc. tudo com o objetivo de alcançar o paraíso terreno. Essa busca por novidades têm influenciado à Igreja. As pessoas têm buscado sentir novas experiências, conhecer novas técnicas para alcançar mais espiritualidade, aprender métodos que diante das provações ou dificuldades dêem resultados positivos e rápidos.

2.3. Indiferença Religiosa. É triste ver que não falamos mais de nossa fé aos nossos amigos.

2.4. Agressividade da Mídia. A mídia é hoje o principal agende formador de opinião que temos em nosso mundo. Sua influência na vida das pessoas é inegável. Esse termo é usado para todo meio de comunicação pelo qual se divulga uma notícia. Há pesquisas que mostram que o jovem fica, em média, 5 horas por dia em frente a televisão, ou navegando na internet. Há jovens que ficam a madrugada toda desta maneira. A mídia influencia através da alienação, manipulação e conformismo.

2.5. Sexualidade Desenfreada. Nunca se viveu um período de tamanha devassidão, quanto em nossos dias. Homem só é macho se tiver mais de uma mulher; namoro com três meses, já deve ter a sua primeira relação sexual; casados traem com facilidade e normalidade; as autoridades aceitando e apoiando a união matrimonial de pessoas do mesmo sexo.

III. DERROTANDO O PÓS-MODERNISMO
Nós, cristãos, cuja tarefa é ser “sal da terra”, devemos dar sabor e preservar os valores que restauram a vida. Eis o nosso desafio: “recuperar os valores perdidos”. São eles:

3.1. A Verdade. O pensamento pós-modernista procura desacreditar a verdade e muitos cristãos descuidados já se deixaram enganar por esse esquema – são aqueles que dão pouco valor ao estudo bíblico, que é a Palavra da Verdade, e muito valor às experiências sobrenaturais (Jo 8: 32).

3.2. Coragem de andar na verdade. Esse não é um caminho fácil de ser percorrido, devido às pressões que sofremos. Porém, para que Deus seja honrado e Seus valores propagados, nosso testemunho precisa ser autêntico. João ficou feliz porque seus filhos na fé “andam na verdade” (3 Jo 4). Paulo exortou: “mas,seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Ef 4:15).

3.3. Bases da nossa Fé. A pós-modernidade não é um avanço cultural; é um retrocesso; uma volta ao tempo em que não havia leis, nem parâmetros a seguir. É hora de retornarmos às bases de nossa fé... de redescobrirmos a nossa história... de reencontrarmos os valores que garantem uma verdadeira espiritualidade. “Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo” (1 Co 3:11).

CONCLUSÃO
Você pode ser um cristão moderno; alguém que sabe aproveitar as oportunidades, estando sempre atualizado, preparado para viver este novo tempo, com eficácia e satisfação. Todavia, nunca, de maneira alguma, permita que os estranhos conceitos daqueles que não têm nada haver com Deus determinem o seu modo de agir e de pensar.

Linaldo Lima
Professor de EBD e Secretário da Igreja Batista Missionária El-Shaday – Camaragibe-PE. Como características, sou Um sonhador pró-ativo, criativo, sincero, leal, metódico, honesto, cristão, perfeccionista no trabalho e estudos, extrovertido e, acima de tudo, compromissado com Deus e a sociedade.
Busco crescer na vida como cristão, cidadão e como profissional na área de Tecnologia.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VOCÊ ESPECIAL

GOOGLE +