quinta-feira, 16 de junho de 2011

RESSENTIMENTO UM INIMIGO DA ALMA.

“Irmãos, quanto a mim, não jugo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação em Cristo Jesus”

(Filipenses 3:13-14)

Um grande problema que assola o coração humano é o ressentimento.

O ressentimento representa uma mágoa que se guarda de uma ofensa; rancor. Podemos dizer que é como uma doença que se carrega na alma daquele que foi ou se sentiu ofendido por outrem. Na maioria das vezes este que carrega o ressentimento em sua alma é o mais prejudicado quando não é o único, pois a outra parte pode não estar dando nenhuma importância ao acontecimento.

O Apóstolo Paulo em toda a sua vida desde sua conversão atravessou várias circunstâncias que poderiam ter causado em seu coração este problema. Como ele mesmo diz:

“Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo;” 2 Co. 11.25.

Sem deixar de mencionar os problemas que sofreu quando sua apostolicidade foi colocada a prova por alguns da igreja de Corinto, seu aparente desentendimento com Barnabé e tantos outros problemas decorrentes de sua caminhada.

Tendo como exemplo uma vida guiada pelas mãos de Deus como a de Paulo percebemos que não estamos livres de viver circusntâncias que nos machucarão. Quantas vezes por não entendermos os propósitos de Deus do porque sofremos ficamos triste até com Deus. Conheci uma pessoa que me disse que teve dificuldades de orar por um período de sua vida por não conseguir assimilar a perda de um ente querido. E, em alguns casos vemos o exemplo de pessoas que se afastaram da igreja e consequentemente de Deus por estarem ressentidas por algum desentendimento.

A verdade é que enquanto vivermos neste mundo estamos a mercê de acontecimentos que jamais estarão sob o nosso controle. Tomemos também o exemplo de Deus que diz assim em sua palavra:

"Sou eu, eu mesmo, aquele que apaga suas transgressões, por amor de mim, e que não se lembra mais de seus pecados. Is. 43.25

E vai muito, além disso, pois, se ele mesmo guardasse em seu coração ressentimentos jamais daria Jesus seu único filho para morrer por nós (Jo. 3.126).

As vezes guardamos sentimentos ruins por toda uma vida construindo um verdadeiro arsenal de guerra contra pessoas. Mas, na verdade o maior bombardeio acontece dentro de nós mesmos. E perdemos a oportunidade de construir bases para que as bênçãos aconteçam em nossas vidas.

Não deixe para amanhã a oportunidade de uma cura interior liberando o perdão dentro de você. Fazendo isso, não dará vasão a problemas e sentimentos ainda piores, como o sentimento de culpa por não ter feito o que deveria e, depois de tudo ja ser tarde demais.

Siga adiante como o Apóstolo Paulo fez em sua vida esquecendo-se do que para trás ficou e seguindo em direção a objetivos que sejam rumo ao propósito santo de Deus.



Rev. Maycon Rodrigues

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

NOSSA PAGINA

VOCÊ ESPECIAL

GOOGLE +