ACONSELHAMENTO PASTORAL OU ACONSELHAMENTO PSICOLÓGICO?

1. QUESTÃO PRELIMINAR Esta é a primeira questão que desejo considerar: o que estudaremos será aconselhamento pastoral ou aconselhamento...

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Como viver a vida com sabedoria - Referência: Tiago 1.5-18

INTRODUÇÃO
1. Tiago escreve esta carta para ajudar os crentes dispersos a vencerem as provações a que estavam expostos, buscando ao mesmo tempo, o alvo da maturidade cristã.
2. Ele ensinou nos versos 2-4 que as provas são compatíveis com a fé cristã, são variadas, passageiras e pedagógicas.
3. Agora, Tiago vai nos mostrar como viver com sabedoria neste mundo, no meio dessas provas.


I. COMO LIDAR DE FORMA SÁBIA COM AS PROVAÇÕES – V. 5-12

O alvo de Deus em nossa vida é a maturidade cristã (1:2-4,12; Rm 8:29; Cl 1:28). À medida que somos provados, precisamos pedir a Deus para nos mostrar o que ele está fazendo (1:5). Deus nos prova para nos fazer desmamar de atitudes infantis.

Para alcançar esse alvo da maturidade, Deus faz três coisas (Ef 2:8-10): 1) Há uma obra que Deus realiza por nós – Salvação; 2) Há uma obra que Deus realiza em nós – Santificação; 3) Há uma obra que Deus realiza através de nós – Serviço.

Exemplos: Deus trabalhou 25 anos na vida de Abraão antes de lhe dar o filho da promessa. Deus trabalhou 13 anos na vida de José antes de colocá-lo no trono. Deus trabalhou 80 anos na vida de Moisés antes de usá-lo como lider do seu povo. Jesus trabalhou 3 anos na vida dos apóstolos antes de enviá-los ao mundo. O alvo de Cristo é que a igreja faça discípulos (Mt 28:19).

1. Quando somos provados precisamos pedir Sabedoria – v. 5-8

Quando estamos sendo provados, precisamos de discernimento, precisamos de sabedoria (1:5; 3:13-18). O que é sabedoria? É mais que conhecimento. Sabedoria é o uso correto do conhecimento. Conhecimento é conhecer a Bíblia bem. Sabedoria é usar a Bíblia bem. Sabedoria é olhar para a vida com os olhos de Deus. O sábio busca maturidade e não prazer. Há pessoas cultas e tolas. Há pessoas que têm erudição, mas não sabem viver a vida nem fazer escolhas certas.

Quando estamos sendo provados, precisamos de sabedoria para não disperdiçarmos as oportunidades que Deus está nos dando para chegarmos à maturidade. Sabedoria nos ajuda a entender como usar as provas para o nosso bem e a glória de Deus. Exemplo: O testemunho de Paulo (Fp 1:12).

2. Quando somos provados precisamos conhecer o caráter de Deus – v. 5

Tiago nos ensina três coisas sobre Deus neste verso:

a) É da natureza de Deus dar (1:5) – Deus é a fonte da sabedoria. Ele é o doador.

b) A generosidade de Deus é ilimitada (1:5) – A generosidade de Deus não conhece limites na terra – É para TODOS. A generosidade de Deus não conhece limites no céu – Ele dá LIBERALMENTE.

c) A acolhida de Deus é garantida (1:5) – Deus não rejeita aquele que o busca (Sl 66:20).

3. Quando somos provados precisamos orar com fé – v. 6-8

Tiago compara o homem que ora a Deus, mas duvida, a três figuras:

a) As ondas do mar (1:6) – É a pessoa que oscila entre fé e incredulidade, ânimo e desânimo, otimismo e pessimismo. Ora está no alto, ora no vale. Um dia fervoroso, outro dia abatido.

b) Duas mentes em um só corpo (1:6) – A palavra grega “duvidando” diacrimonai = duas mentes. É uma pessoa com dus mentes. A fé diz sim, mas descrença diz não. Uma hora ele diz sim, outra hora ele diz não. Exemplo: Pedro andando sobre o mar afundou quando duvidou.

c) Duas almas em um só corpo (1:8) – A palavra grega “dobre” dipsychoi = duas almas. Almas divididas. É tentar andar em dois caminhos. É tentar servir a dois senhores.
Tiago fala de dois resultados negativos ao crente que ora, mas duvida:
a) Fracasso na oração (1:6) – Ele não vai alcançar coisa alguma.
b) Inconstância espiritual (1:8) – Ele não vai chegar à maturidade, mas vai estar exposto aos ventos de doutrina (Ef 4:14). Há crentes que não se firmam na igreja.

4. Quando somos provados precisamos nos alegrar com as riquezas espirituais (1:9-11)

Tiago aplica o princípio da sabedoria nas provas em duas circunstâncias específicas: cristãos pobres e cristãos ricos. Dinheiro e status eram problemas reais entre aqueles irmãos (2:1-7, 15-16; 4:1-3; 5:1-8).

O pobre deve gloriar-se pelo que tem permanente no céu. O rico pelo que não tem permanente na terra. O pobre deve gloriar-se na sua dignidade, o rico na sua insignificância. Não é tolo aquele que perde o que não pode acumular, para ganhar o que não pode perder. O pobre ao ser provado diz: mas quão rico eu sou. O rico ao ser provado pelas glórias do mundo diz: mas quão vulnerável eu sou. Cada um olha para a sua vida na perspectiva da eternidade.
No v. 10 Tiago oferece uma comparação = o rico é como a flor – fragilidade.
No v. 11 – Ele faz uma explanação = porque o sol… – dependência.
No v. 11b – Ele tira uma conclusão = assim também – a instabilidade da riqueza.

5. Quando somos provados precisamos estar de olho na recompensa – v. 12
Quando Deus nos prova é para o nosso bem, por isso somos bem-aventurados.
Quando somos provados desenvolvemos a paciência triunfadora.
Quando somos provados somos aprovados por Deus.
Quando somos provados somos galardoados por Deus
Quando somos provados temos a oportunidade de demonstrar o nosso amor por Deus.

II. COMO LIDAR DE FORMA SÁBIA COM AS TENTAÇÕES – V. 13-18

Uma pessoa madura é paciente nas provas. Uma pessoa imatura transforma provas em tentações. Provas são testes enviados por Deus. Tentações são armadilhas enviadas por Satanás e encorajadas por nossa natureza caída.

Quando passamos por dificuldades somos tentados a questionar o amor e o poder de Deus. Então, Satanás oferece um caminho para escaparmos das provas. Essa oportunidade é uma tentação: Exemplo: Satanás sugeriu a Jesus transformar pedras em pães.

Há três fatos que devemos considerar se queremos vencer as tentações.

1. Olhe para frente e considere o Julgamento de Deus – v. 13-16

Não culpe a Deus pela tentação. Ele é absolutamente santo para ser tentado e ele é absolutamente amoroso para tentar. Deus nos prova como provou a Abraão, mas ele não nos tenta. A prova é para santificar. A tentação é para derrubar.

Uma tentação é uma oportunidade de fazer uma coisa boa de maneira errada. Exemplo: 1) Passar numa prova é coisa boa, mas colar na prova para passar é uma coisa errada; 2) O prazer sexual é uma coisa boa, mas o sexo fora do casamento é uma coisa errada.

Tiago vê o pecado, não apenas como um ato, mas como um processo em quatro estágios

a) Desejo ou cobiça (1:14) – É desejar satisfazer um desejo fora da vontade de Deus. Comer é normal, glutonaria é pecado. Dormir é normal, preguiça é pecado. Sexo no casamento é normal, sexo fora do casamento é pecado. Os desejos devem estar sob controle e não nos controlar.

b) Engano – (1:14) – Tiago usa duas figuras para ilustrar o engano da tentação: 1) A figura do caçador que usa uma armadilha (atrai); 2) A figura do pescador que usa o anzol com ísca (seduz). Se Ló pudesse ver a ruína que estava por trás de Sodoma e se Davi pudesse ver a tragédia sobre a sua casa quando deitou-se com Bate-Seba eles jamais teriam caído. Precisamos identificar a arapuca do diabo e ísca do diabo.

c) O nascimento do bebê chamado pecado – (1:15) – Tiago muda a figura da armadilha e do anzol para a figura do nascimento de um bebê maldito, chamado PECADO.

d) Morte (1:16) – A cobiça depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte. Vemos aqui a genealogia do pecado. A morte é a avó da cobiça. O pecado é filho da morte. A cobiça é neta da morte. O salário do pecado é a morte (Rm 6:23).

2. Olhe ao redor e considere a bondade de Deus – v. 17

Quando Satanás tentou Eva no jardim e Jesus no deserto, ele questionou o amor de Deus. A bondade de Deus é o grande escudo contra a tentação do diabo. Quando sabemos que Deus é bom não precisamos de cair nas armadilhas do diabo para suprir as nossas necessidades. É melhor estar faminto dentro da vontade de Deus do que estar cheio fora da vontade de Deus (Dt 6:10-15).

Tiago apresenta três fatos sobre a bondade de Deus:

a) Deus dá somente boas dádivas – Tudo o que Deus dá é bom, até as provas. O espinho na carne de Paulo foi um dom estranho, mas foi uma grande bênção para ele (2 Co 12:1-10).

b) Deus dá constantemente – O verbo “descendo” é um presente particípio = continua sempre descendo. Deus não dá seus dons apenas ocasionalmente, mas constantemente.

c) Deus não muda – Deus não pode mudar para pior porque ele é santo. Ele não pode mudar para melhor porque ele é perfeito. O primeiro escudo contra a tentação é o julgamento de Deus. O segundo, é a bondade de Deus.

3. Olhe para dentro e considere a natureza divina dentro de você – v. 18

Tiago usou o nascimento para falar do pecado e da morte. Mas, ele também usou o nascimento para falar da nova vida. Vejamos as características desse novo nascimento.

a) A origem do Novo Nascimento – Ele é divino e gracioso – Nicodemos pensou que precisaria voltar ao ventre materno (Jo 3:4-7). Mas o novo nascimento é o nascido de cima, do alto, de Deus, do Espírito. Não depende da nossa vontade (Jo 1:13) nem da nossa participação (Jo 3:6). Não nascemos de novo por causa dos nossos pais, decisões, religião. Ele é obra de Deus.

b) O meio do Novo nascimento – Ele é operado através da Palavra de Deus – Assim como o nascimento natural vem pelo concurso do relacionamento do pai e da mãe, o nascimento espiritual vem pelo concurso da Palavra e do Espírito (1 Pe 1:23).

c) O propósito do Novo nascimento – Este nascimento é o mais nobre dos nascimentos – Somos as primícias das suas criaturas. Ele é o mais alto nascimento para o mais alto tipo de vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça comentários produtivos no amor de Cristo com a finalidade de trazer o debate para achar a verdade. Evite palavras de baixo calão, fora do assunto ou meras propagandas de outros blogs ou sites.

Marcadores

REFLEXÕES NOTÍCIAS LIÇÕES BÍBLICAS VIDEOS ESCOLA DOMINICAL DEVOCIONAIS COMENTÁRIOS ESTUDOS SAMUEL VIEIRA VIDA CRISTÃ EVENTOS SERMÕES PASTORAIS SILAS MALAFAIA JOSÉ GONÇALVES 2º TRIMESTRE 2012 HERNANDES DIAS LOPES POLITICA ILUSTRAÇÕES ELINALDO RENOVATO FAMÍLIA SILAS DANIEL 4º TRIMESTRE 2012 ALEXANDRE COELHO ELIENAI CABRAL 1º TRIMESTRE 2013 2º TRIMESTRE 2013 3º TRIMESTRE 2014 EPÍSTOLA DE TIAGO EVANGELHOS 3º TRIMESTRE 2013 DILMA ROUSSEFF MENSAGENS APOLOGÉTICA APOSTOLO CASAMENTO EPÍSTOLAS 2º TRIMESTRE 2014 4º TRIMESTRE 2013 FOTOS 3º TRIMESTRE 2012 FILIPENSES PROFETAS 1º TRIMESTRE 2015 2º TRIMESTRE 2016 4º TRIMESTRE 2014 ADULTOS DANIEL DOUTOR OS DEZ MANDAMENTOS DONS ESPIRITUAIS LUCAS MANDAMENTOS ROMANOS 2º TRIMESTRE 2015 CPAD ESEQUIAS SOARES HOMOSSEXUALIDADE 1º TRIMESTRE 2014 3º TRIMESTRE 2015 AGENDA MARIO SALES ÊXODO ELIEZER DE LIRA E SILVA RENATO BROMOCHENKEL ANTÔNIO GILBERTO 4º TRIMESTRE 2015 CRIME JOVENS MARCOS POLICIA REFORMA SÉRIES CLAUDIONOR DE ANDRADE FÁBULAS VIOLÊNCIA AUGUSTUS NICODEMUS LOPES ECLESIASTES GENESIS SALMOS ADULTÉRIO AÉCIO NEVES CIRO SANCHES ZIBORDI MARINA SILVA NATAL 1º TRIMESTRE 2012 FORNICAÇÃO FÉ E OBRAS HERESIAS LUIS INÍCIO LULA DA SILVA MARCO FELICIANO PROVÉRBIOS REINALDO AZEVEDO ANO NOVO BRASIL DINHEIRO INVESTIGAÇÃO MYLES MUNROE NAMORO PRESBÍTERO PROSPERIDADE SANTIFICAÇÃO SERMÃO DO MONTE 4º TRIMESTRE 2011 COPA DO MUNDO ESCATOLOGIA GEREMIAS DO COUTO GLOBO MULHER NELSON NED NOVELAS PETROBRAS PETROLÃO PORNOGRAFIA SEXO DEPUTADOS DIÁCONO EDUCAÇÃO ENTREVISTA FESTA FILHOS LAVA JATO LIBERALISMO LIDERANÇA MAGNO MALTA. MARIA MARTA MARTINHO LUTERO OBREIROS ORAÇÃO PARÁBOLA PRESIDENTE SABEDORIA 1º TRIMESTRE 2016 1º TRIMESTRE 2018 ADORAÇÃO ATIVISMO ATOR C. H. BROWN CORRUPÇÃO CUBA DENZEL WASHINGTON DIVÓRCIO ELIAS FILMES GRATIDÃO ISRAEL JEAN WYLLYS MARCHA PARA JESUS NORBERT LIERTH OPERAÇÃO PREGADORES PROTESTO REYNALDO ODILO SACERDOTES SAMUEL F.M. COSTA SEXUALIDADE TEOLOGIA TRABALHO 3º TRIMESTRE 2016 4º TRIMESTRE 2008 4º TRIMESTRE 2016 4º TRIMESTRE 2018 ABEL AGIOTAGEM ALEGRIA AMIGOS AMIZADE AMY WINEHOUSE ANCIÃO ARROGÂNCIA BABILÔNIA BIBLIOLOGIA BISPO CAIM CALVÁRIO CHARLES HADDON SPURGEON CHARLES R. SWINDOLL CORDEIRO CRIANÇAS CRISTO CRITICAS CÓDIGO DA VINCI DESIGREJADOS ELIEZER RODRIGUES ENVELHECER EUNÁPOLIS EXPOSITIVO F FARSA FEMINISMO FERNANDO HENRIQUE CARDOSO GOMORRA HERRY POTTER HOMILÉTICA HUMILDADE INIMIGOS INIMIZADE JEJUM JOHN ANKERBERG JOHN WELDON JORDÃO JUSTOS LARRY WILSON LEIS LÍNGUA MAR VERMELHO MARCHISMO MARK BROWN MESTRE MOISÉS MUSICA NAMOROj NETO GUERRIERI OSTENTAÇÃO PASCOA PERDÃO PILATOS PREFEITOS PROVAÇÕES RELIGIÃO SALVAÇÃO SEGURANÇA SELEÇÃO BRASILEIRA SENADOR SODOMA TEMOR TEMPERAMENTOS TENTAÇÃO TESTEMUNHO VINDA DE CRISTO WARREN WIERSBE WILLIAM MACDONALD XUXA ÍMPIOS ÓDIO